sábado, 28 de abril de 2012


Crianças rebeldes, como lidar?

6
Eliminar as más tendências não é nada facil. Mas com duas medidas de amor, duas de pasciência, duas de preseverança e uma de carinho conseguimos achar uma solução para esse tipo de problema.

Há aqueles filhos simpáticos, pacíficos e obedientes, surgem também aqueles outros que, desde a primeira infância, já começam a provocar peocupações, irritações, tenções emocionais, aborrecimentos, angústias e canseiras fisícas e psíquicas, por apresentarem um temperamento forte de rebeldia e desobediência. É de fato uma árdua missão de educar os seus sentimentos complexos e confusos no caminho do bem.

A primeira atitude construtiva dos pais, ante os filhos problemáticos, é desenvolver em si mesmos a sublime compreensão, para não se deixarem dominar pela revolta e amargura, julgando que são infelizes e perseguidos pela má sorte.

Santo Agostinho retrada com emoção o drama de mãe e filho.

"Não escorraceis, pois, a criancinha que repele sua mãe, nem a que vos
paga com a ingratidão; não foi o acaso que a fez assim e que vo-la deu."

Teremos sempre os filhos que precisamos e merecemos, dentro dos estatutos da justiça divina. Se tens filhos insuportáveis e nos julgamos fracos para superarmos tantos atritos no coração, ao invés de desespero e nervosismo e pessimismo, é hora de compreendermos que Deus está nos dando a oportunidade abençoada de realizarmos nossos deveres educativos, embora espinhosos, sem abondonarmos a fé, o amor, a paciência, o perdão incondicional e a compaixão verdadeira entre eles. Quanto maiores forem as dificuldades suportadas com abnegação e humildade, maior será também o mérito do pai e da mãe, perante Deus.

Juntos a eles muito valerá prosseguir sofrendo, mas educando; chorando, mas abençoando; suportar espinhos de inconpreensão, mas dando rosas perfumadas de carinho; experimentar ingratidão, mas continuar amparando; pois o único meio de vencer o mal é preservar nas tarefas de amor, apesar de todas as contrariedades no lar. Empreenda esforços fazendo com que eles assimilem alimentos espirituais que iluminem a inteligência e o coração: o amor a Deus, o pão da bondade, a régua da disciplina, a energia da ordem, a luz do diálogo amigo, a esponja do perdão permanente, o incentivo ao trabalho construtivo, a eficácia da obediêncai e adiginidade do respeito a proximo.

Fontes: Educadores do coração